#PraCegoVer: Três pessoas trabalhando na coleta dos resíduos, duas na parte superior organizam os materiais coletados. (Foto: Cláudio Gomes / PMC)

Após completar um ano de implantação da Coleta Seletiva em Caraguatatuba, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (SMAAP), realizou uma avaliação do projeto e os dados apontaram uma economia de aproximadamente R$ 90.000,00 mensais. Foram 960 toneladas de resíduos que deixaram de ir para o aterro sanitário durante este primeiro ano de atividade.

De acordo com o secretário da pasta, Marcel Luiz Giorgeti, os moradores são os grandes parceiros desse projeto. “Estamos muito contentes com os resultados até o momento, eles superaram nossas expectativas. A ideia é continuar nosso trabalho de divulgação e sensibilização, para que mais pessoas consigam aderir a coleta seletiva no município”, comentou.

Atualmente, o valor economizado para a destinação ao aterro sanitário supera o custo mensal da coleta seletiva porta a porta, que é realizada por empresa contratada.

#PraCegoVer: Dois homens colocam os materiais recolhidos no caminhão de coleta seletiva. (Foto: Cláudio Gomes/PMC)

Muito mais do que estimular a consciência ambiental e a proteção ao meio ambiente, o trabalho desenvolvido proporciona o fortalecimento e apoio à gestão das cooperativas, que é fundamental para os resultados atingidos até o momento.

Todos os meses são destinados à cooperativa aproximadamente 80 toneladas de materiais recicláveis, que são triados, enfardados e posteriormente comercializados. Por dia, dois caminhões realizam a coleta porta a porta, atingindo 90% município.

Há também um caminhão que realiza a coleta no período noturno nos locais onde a demanda de geração dos resíduos é maior, como condomínios e comércio.

O aumento significativo na quantidade de material resultou no aumento de renda dos cooperados, que dobrou após a implantação efetiva do Programa de Coleta Seletiva na cidade e atualmente gera renda para cerca de 40 pessoas de forma direta e indireta.

De acordo com a SMAAP, é importante ressaltar que a coleta seletiva é realizada em dias diferentes da coleta comum. Cada bairro conta com seu dia de semana específico e os moradores devem deixar os materiais em suas lixeiras residenciais externas. Caso estejam em sacos pretos ou sacos de ração, precisam ser identificados como “recicláveis”.

São coletados materiais como embalagem longa vida, jornais, revistas, livros, caixas de papel e papelão; eletroeletrônicos, utensílios domésticos e embalagens de produtos de limpeza; latinhas, ferragens, pregos e panelas. Para mais informações, consulte o site: www.caraguatatuba.sp.gov.br/coletaseletiva

Ecoponto

A instalação do primeiro Ecoponto na cidade, localizado no bairro Pontal Santa Marina, foi outro projeto que contribuiu significativamente para a coleta seletiva municipal. Um mês após a sua inauguração, mais de cento e cinquenta pessoas estiveram no local para tirar dúvidas sobre reciclagens e também levar seus resíduos como: RCC, madeira, resíduos de obra, móveis usados em mal estado, colchões, sofás, restos de pisos entre outros.

Moradores de bairros distantes do Ecoponto, como Martim de Sá, Centro e Cidade Jardim, também tem procurado o local para destinar seus resíduos, demonstrando a crescente consciência ambiental dos moradores de Caraguatatuba.